INTERMÍDIAS
Mídia e cultura


A revista online Intermídias interage as várias mídias numa busca da opinião e do caráter reflexivo presente nos textos e nas obras.

A intermidialidade é o movimento e o devir, lugar de um saber que não seria mais aquele do ser. Ou então, lugar de um pensamento do ser, não mais entendido como unidade e continuidade, mas como diferença e intervalo.

Os autores são convidados a expressarem uma crítica sobre a sociedade e sobre o fazer e o pensar das idéias e das manifestações artístico-sociais em seu processo criativo e produtivo.

Compartilhe conosco dessa experiência enviando o seu texto para a nossa revista. As editorias estão divididas em Comunicação, Cinema, Artes e Literatura, além de Ensaios Visuais, Entrevistas e Dossiês.


LINHA EDITORIAL

Quando se fala em mídias, devemos pensar não somente em cinema, fotografia, rádio, jornal e tv mas também em literatura e artes. Elas são mídias, pois veiculam informação e reúnem todo um aparato social e cultural a sua volta.

A revista se divide em duas vertentes, a acadêmica e a jornalístico-cultural.

A vertente acadêmica prioriza os ensaios e artigos, onde possamos debater assuntos em voga, publicar nossos textos e conhecer os textos científicos e culturais dos nossos colegas, provocando assim o debate e o exercício intelectual. Incentivamos a indicação de textos voltados para o ensino, a aprendizagem e a preservação da memória de temas ou pessoas de reconhecimento público.

A vertente jornalístico-cultural não tem a preocupação da seqüencialidade, “tematicidade”, periodicidade ou mesmo quantidade, tem uma preocupação com o factual e o momento, como críticas de produções artístico-comunicacionais (livros, filmes, pinturas, etc), ou notícias. Elas serão publicadas à medida que forem chegando e sendo aprovadas pelos editores, seja no Blog Intermídias ou na edição regular da Revista podendo serem notas, notícias, etc.

A grande afinidade entre as duas vertentes é a presença da opinião, da informação e do caráter reflexivo presente nos textos e nas obras. Os autores são convidados a, sobretudo, expressarem não tão somente uma crítica sobre a sociedade e o seu meio profissional quanto sobre o fazer e o pensar das idéias e das manifestações artístico-sociais, ou seja, o seu processo criativo e produtivo.

A partir dessa distinção a revista tenta se caracterizar no que justamente tem a tendência de desaparecer no meio midiático-acadêmico e principalmente no jornalismo cultural contemporâneo: a crítica e a opinião. Assim todos os textos devem ser assinados e expressar as idéias dos seus autores, evitando ao máximo qualquer tipo de censura por parte da Intermídias, no tocante as idéias expressas por seus autores. Onde as pessoas possam expor suas questões acerca de qualquer assunto ligado aos temas gerais da revista: mídia e cultura.


DOSSIÊS

Ensaios e artigos acadêmicos ou jornalísticos que formem um conjunto de textos temáticos sobre algo ou alguém de relevância por sua atualidade ou por sua atemporalidade.


COMO COLABORAR

Os textos e obras publicadas na Intermídias são o resultado de convites feito aos seus autores. Não devendo estes serem remunerados para tal, pois os textos continuam sobre suas autoridades e responsabilidades.

Todos são convidados a participarem da revista enviando seus textos ou obras (ensaios visuais ou literários).

Os autores devem manifestar por escrito através de e-mail, a autorização da publicação de seus textos ou obras, e se os mesmos são inéditos ou se já foram publicados anteriormente. Caso já tenha sido publicado, a revista deve dar os devidos créditos, e ainda, caso seja necessário seus autores devem pedir a autorização de reprodução.


Os textos deverão ter entre 2.000 caracteres e preferencialmente no máximo 17.500 caracteres (Verdana corpo 12). Os textos que estiverem fora deste padrão serão analisados pelo conselho por sua relevância e qualidade.

Os textos e obras publicados são de inteira responsabilidade de seus autores e não expressam necessariamente as opiniões dos editores de Intermídias.

Os textos e obras serão avaliados pelos Editores, que se reservam o direito de não publicá-los ou solicitar informações adicionais, ou mesmo fazer correções e ajustes, caso vejam necessidade para tal.

Os textos e obras têm os direitos reservados dos seus autores e da Intermídias para publicação. A cessão de direitos para fins didático-pedagógicos será feita mediante consulta prévia aos autores e aos editores da revista.

A periodicidade de publicação e atualização da revista é trimestral, portanto os interessados poderão enviar seus textos e obras a qualquer momento.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DOS TEXTOS E OBRAS

Concordância com o tema da revista: mídia e cultura (veja a linha editorial acima)
Relevância do conteúdo
Qualidade formal do texto ou da obra
Ineditismo


CONSELHO CONSULTIVO

O conselho científico da Revista se trata de consultores por ela escolhidos e listados no expediente, é composto por acadêmicos, intelectuais e jornalistas convidados, e manifestarão através de críticas e sugestões quanto a preservação da integridade da proposta de trabalho e linha editorial da Intermídias.

ALGUMAS NORMAS E SUGESTÕES ESTILÍSTICAS DA INTERMÍDIAS


Titulo do artigo em negrito
Nome do(s) autor(es).

Exemplo:
Oralidade, mídia, culturas populares
Jerusa Pires Ferreira

Texto completo do artigo, escrito em Verdana 12 pt, com espaçamento de 1,5, justificado.

- Para artigos recomenda-se, mas não se restringe, o tamanho do texto de no mínimo de 2 e no máximo de 20 páginas.

- Para resenhas (livros e filmes) recomenda-se, mas não se restringe, o tamanho de no mínimo de 2 e no máximo de 10 páginas. O título deve ser diferente do título do livro resenhado, este deve vir logo abaixo. Como segue:

Da arte de pactuar
Fausto no Horizonte (Hucitec/Educ, 1996) Jerusa Pires Ferreira
por Valdir Baptista

Ao final do texto: nome do autor em negrito com uma breve biografia-bibliografia de 2 a 4 linhas sobre o autor do texto.

recomenda-se o uso de aspas para citações e em itálico para títulos. Quando houver necessidade de salientar expressões ou palavras usa-se itálico.

Em citações maiores de três linhas, estas devem vir recuadas do corpo do texto, sem aspas, em fonte menor (verdana 10 pt) e espaçamento simples. Veja exemplo:

Se as mídias reconfiguram o mundo habitável manipulando a distância, nos propondo experiências cognitivas “désobjetivantes”, pluralizando e relativizando a verdade, o que vem a ser do sujeito? Em que medida o começo de um conceito, que vem responder à essa realidade, abrindo horizontes desconhecidos, participa à, ou testemunhe uma metamorfose do sujeito? (Mariniello, 2003:47)

Evite a utilização de notas de rodapé, substitua-as por entre parênteses, ou caso seja necessário, as notas devem estar localizadas no final do texto.

As citações no interior do texto devem obedecer as seguintes normas: um autor (Foucault, 1970); dois autores (Berger e Luckmann, 1985); três ou mais autores (Amaral et al., 1992). Trabalhos com mesmo(s) autor(es) e mesma data devem ser distinguidos por letras minúsculas logo após a data. Não se deve utilizar op. cit.

Em caso de citações especificas acrescente o numero da pagina, como segue: um autor (Foucault, 1970, p. 35); dois autores (Berger e Luckmann, 1985, p. 25); três ou mais autores (Amaral et al., 1992, p.166). Ou ainda: um autor (Foucault, 1970:35); dois autores (Berger e Luckmann, 1985:25); três ou mais autores (Amaral et al., 1992:166).

As referências bibliográficas (se possível restrinja à apenas aquelas citadas no texto) devem ser listadas ao final do texto, em ordem alfabética, em 10 pt e com espaçamento simples, seguindo o modelo abaixo:


Artigo de periódico:

SOBRENOME, Inicial (is) do nome. Título do artigo entre aspas. Título do periódico em itálico, data de publicação, v. (fascículo): p-p.

Exemplo:
LELLIS, Vinicius et al. “A influência da estética publicitária no cinema contemporâneo brasileiro. Uma leitura pós-moderna da retomada do cinema nacional”, in Revista Intermidias, ano 1, edição 3, 01/06/2005. Disponível em: <http://www.intermidias.com/categorias/nro3/comum_cinemanacional.htm>. Acesso em 27 jun. 2005.


Artigo de publicação relativa a evento:

SOBRENOME, Inicial(is) do nome. Título do trabalho. In: nome do congresso, encontro, simpósio, no, etc., cidade, ano. Título da publicação do evento, Cidade, Sigla, V: , Ano de publicação, p-p.

Exemplo:
BORGES, Gabriela. “Beckett on film: a dialogue amongst cinema, television and theatre”, in: I Congresso de Cinema Europeu na Universidade Pompeu Fabra, Barcelona, Junho 2005, (CD-ROM).

Artigo de coletânea:

SOBRENOME, Inicial(is) do nome. Título do artigo. In: Inicial(is) do nome, SOBRENOME (org.), Título da coletânea, cidade, editora, ano de publicação, p-p.

Exemplo:
FERREIRA, Jerusa Pires. “Haroldo Oral (Malamágica de Vagamundo)”, in Lisa Block de BEHAR (Coord). Haroldo de Campos, Don de poesia: Ensayos críticos sobre su obra y una entrevista. Lima-Perú: Fondo Editorial/ Embajada de Brasil en Lima, 2004, pp. 229-238.

Livro:

SOBRENOME, Inicial(is) do nome. Título do livro. Cidade, editora, ano de publicação.

Exemplo:
BORGES, Gabriela. A poética televisual de Samuel Beckett. São Paulo, Annablume, 2006.

Capítulo de livro:

SOBRENOME, Inicial(is) do nome. Título do capítulo. In: Inicial(is) do nome, SOBRENOME (ed.), Título do livro. Cidade, editora, Ano de publicação, p-p.

Exemplo:
ALMEIDA, Amylton de. “O dia do enterro de Judy Garland” in Deny Gomes (org.) Marginalidade e Literatura. Vitória, Ufes/ DCE /Departamento Estadual de Cultura, 1981, pp. 16-22.

Tese:

SOBRENOME, Inicial(is) do nome. Título da tese. Cidade, Estado. Tipo de tese (mestrado, doutorado). Universidade, Ano da defesa.

Exemplo:
MONZANI, Josette Maria Alves de Souza Uma Arqueologia de Imagens: o cinema de Glauber Rocha. Tese de doutorado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1998.


Citação de site:

Nome do site. Disponível em: <http:// >. Acessado em: data

Exemplos:
ROCHA, Glauber. Eztétyka da fome. Disponível em: <http://www.tempoglauber.com.br/glauber/textos/eztetyka.htm>. Acesso em 27 set. 2004.

Revista Intermídias. Disponível em: <http://www.intermidias.com>. Acesso em 02 out. 2004.